Férias Frustradas – Parte 01

Férias Frustradas – Parte 01

Nesse e no próximo post vou falar um pouco sobre nossa viagem de férias, que aconteceu em dezembro de 2021. Vou dividir em duas partes para ficar melhor e não ficar tão extensa a leitura para vocês. Vamos lá?

Então, como vocês sabem, amamos viajar. Não tínhamos nenhuma programação para fazer viagem longa em 2021, e quando vimos uma promoção para Porto Seguro, não resistimos e compramos. Lá vamos nós, organizar para passar um natal em família diferente, na praia.

A ideia era ir de carro, apreciando as belas paisagens. Inicialmente iríamos passar por Brasília, subir ali pelo norte de Goiás e pegar rodovias da Bahia, que passam por Bom Jesus da Lapa, Caetité, Vitória da Conquista… mas as chuvas loucas que deram na Bahia naquele período impossibilitou de passarmos por ali, pois pesquisamos e haviam trechos interditados devido à grande quantidade de chuvas na região. O jeito era descer e passar por Minas Gerais. Mas o trecho ao qual conhecemos bem, que passa por Salinas, também não estava muito favorável, pois o Vale do Jequitinhonha também estava com chuvas intensas, que fizeram estragos nos arredores. Encontramos um trecho mais viável passando por Minas, onde dormimos na primeira noite na cidade de Curvelo. 

Nossa estadia nessa cidade foi tranquila. Ficamos hospedados em um hotel no centro da cidade, e a noite saímos a pé para comer ali perto mesmo. Curvelo estava com clima agradável, e uma das praças que passamos estava decorada para o natal, muito linda.

Dia seguinte seguimos viagem até a cidade de Teófilo Otoni, ainda no estado de Minas Gerais, onde paramos para dormir na segunda noite, antes de chegar ao nosso primeiro destino.

Teófilo Otoni é uma cidade maior, nos hospedamos na avenida principal que já dava acesso mais fácil à nossa saída no dia seguinte. Ali só saímos mesmo a pé para comer em um shopping bem em frente ao local que hospedamos. O dia estava chuvoso na cidade.

Nosso primeiro destino era a cidade de Cumuruxatiba, na Bahia. Chegamos no horário do almoço na cidade de Prado, e pegamos indicação de um restaurante simples dali, mas bem renomado. O restaurante, Pousada e Restaurante D`Ajudinha, é espetacular, comida maravilhosa e típica da região, preparada fresquinha na hora. A senhora dona de lá é de uma simpatia ímpar, e seu filho que também trabalha lá nos atendeu maravilhosamente bem. Recomendo para quem vai visitar a região.

Terminada nossa refeição, seguimos para nosso destino, a cidade de Cumuruxatiba. Devido às intensas chuvas na região, a estrada que sai de Prado e vai até lá estava interditada, então pegamos o outro acesso, todo por estrada de chão. Uma aventura! Por sorte o dia estava de sol e foi tranquilo passarmos.

Nos hospedamos na Pousada Boa Sorte, fica no inicio da cidade já em frente o mar. Uma delícia essa pousada, tem um café da manhã bom incluso na tarifa e tem uma piscina que aproveitamos bastante. O mar em frente ao hotel não é bom para banho. Aproveitamos a tarde de sol e fomos andar pela praia. Não tem a beleza de Maragogi, mas foi muito revigorante estar ali, curtir a brisa e o mar. Ao fim do dia, aproveitamos a piscina do hotel, e à noite fomos ao centro da vila para comer.

Dia seguinte amanheceu nublado, e havíamos decidido ir até a Barra do Cahy, uma praia linda que tem ali perto. Foi um dia chuvoso, mas fomos assim mesmo, pois dia seguinte já partiríamos para nosso próximo destino: Porto Seguro. Como esperado, chegamos na praia debaixo de chuva. Ficamos em uma das duas barracas de praia que tem ali, e almoçamos na beira da praia. A chuva havia dado uma trégua, mas o dia estava cinza, o mar não estava bonito. Parecia um dia triste, mas as crianças aproveitaram assim mesmo! E o almoço estava caprichado, com direito a uma deliciosa comida da região. Confesso que comi passado da conta, devia ter me controlado, rsrs!

E assim foi nossa estadia em Cumuruxatiba. Mas ainda não acabou o relato. A chuva havia dado uma trégua, porém voltou e choveu a noite toda. E para ir embora no outro dia? No inicio do dia, recebemos a noticia que estávamos ilhados! Os carros que tentaram atravessar a única passagem da cidade ficaram atolados e estavam esperando um trator para puxá-los e tirar a lama do caminho. Ficamos por ali metade do dia acompanhando os que iam e viam, e por fim os tratores chegaram e conseguimos atravessar. Atrasou um pouquinho nosso cronograma, mas conseguimos cumprir o planejado. E na rodovia tivemos sorte também, de pegar as estradas recém liberadas. Seguimos direto para Porto Seguro, rumo ao hotel que reservamos, o Coroa Vermelha Beach.

No próximo post relatarei a segunda parte dessa nossa aventura. Um abraço!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.