Sumi…mas estou de volta!

Olá meus queridos! Primeiramente quero pedir desculpas pelo meu sumiço, foi alheio à minha vontade. (Como senti falta do blog!!) Fiquei desde dezembro sem internet, e só voltamos a ter agora no fim da semana passada. É horrível ficar sem internet nesse nosso mundo de hoje, onde tudo gira em torno dessa ferramenta, mas o pior é não ter opção e acabar tendo uma internet ruim em casa e passar raiva. Esse é o nosso caso. Estávamos com uma operadora que não estava honrando com seus serviços, oferecendo internet de má qualidade (não conseguíamos de forma alguma usar), e cancelamos com essa operadora, tentamos outras duas que temos na região (infelizmente somos escravos de apenas 3 operadoras que fornecem internet aqui em nossa cidade), e como não havia disponibilidade de nenhuma dessas duas nos fornecerem serviços, para não ficarmos sem internet acabamos tendo que voltar com a antiga operadora. Uma lástima, mas vamos tentar mais uma vez, pois ficar sem internet estava complicado.

Mas vamos falar de coisas boas!! Primeiramente e bem atrasada, quero desejar a todos um 2016 maravilhoso! Sei que as coisas não estão fáceis, está indo tudo para o buraco, mas vamos pensar positivo!!

Quero falar um pouquinho da experiência que eu e meu esposo tivemos de deixar as crianças na casa dos avós durante quase uma semana para viajarmos em nossa segunda lua de mel. É muito bom ter em quem confiar nossos pequenos para nos darmos ao luxo de sairmos sozinhos de vez em quando. Mas como dói ficar muitos dias sem os pequenos! É tanto amor que a gente sente falta em dobro. Tudo que nós víamos na rua e lembrávamos deles, nós comprávamos. Mas a partir daí já começamos a programar a próxima viagem com eles. Conclusão: é bom termos um tempinho (o casal) para nos curtirmos, quem tem criança sabe que depois que os pequenos vem ao mundo, o tempo a dois fica muito restrito. Graças a Deus temos pessoas a quem podemos confiar os nossos pequenos. E temos também que pensar que eles também precisam de um tempinho sem nós, é importante eles terem um pouco de liberdade, sem as regras dos pais que ficam o tempo todo orientando e corrigindo.

Também temos que ter em mente, que criamos nossos filhos para o mundo, damos a base, a educação e os valores necessários para que eles a partir de certo ponto, passem a seguir sozinhos, e nós continuaremos de portas sempre abertas para quando precisarem. Então esses momentos deles sem nós já é parte desse aprendizado e desse desprendimento. E se a gente passa a pensar e agir assim, sofreremos menos lá na frente, e eles também.

Uma semana abençoada a todos, e até breve!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial